Wednesday, March 17, 2010

O texto do desanuvio

Pois é meus estimados seguidores deste-blogue-atirado-às-urtigas-do-esquecimento, voltei! Foi preciso visitar um blogue alheio de uma pessoa incrivelmente bipolar para sacudir a poeira dos dedos e retomar a escrita neste meu espaço-quase-diário. A culpa é do facebook, sabem? Ando viciada naquela coisa. Tenho lá os amigos todos e gasto boa parte da minha criatividade naquela página.
Bom, a vida tem seguido o seu curso. Algumas novidades materiais, projectos de viagem e o mesmo marasmo emocional que me provoca comichão em dias de solidão infernal. As conversas com o meu pardalito (credo) prosseguem. A relação também parece prosseguir embora a passo de caracol. Não se entusiasmem, não passa de uma relação platónica, daquelas à moda antiga, percebem? Estou fadada para merdas desse género, não há volta a dar. De vez em quando ganho asas e voo como uma águia em sonhos de encantar, sobre as nuvens e atravesso mares. São bons esses voos. A chatice é quando regresso à realidade ou quando me distraio com outros pardalitos (duplo credo).
É preciso dizer que não sou de ferro e que de vez em quando ganho sangue na guelra. Ao fim e ao cabo nem sempre consigo ganhar asas ou nem sempre o pardalito me diz o que quero ouvir. Já muito faz ele ao chilrear-me ao ouvido frases como, "espero que me mantenhas na tua vida". E isto é assim, eu bem tento mantê-lo, atiro-lhe migalhas gordas e tudo, mas o passareco não alinha na isca e só age quando lhe dá na cabeça. De maneira que cheguei à conclusão que os nossos relógios andam em sentido contrário. Algumas vezes atingimos a mesma hora juntos e outras vezes, só me apetece montar-lhe uma armadilha e vê-lo ser comido por falcões, águias e outras aves de grande porte.
Todo este texto está a girar à volta do meu pardaleco e está repleto de metáforas absurdas mas foi para isto que me deu hoje.
Durante esta minha ausência do blogue e em conversas com o passareco, cheguei a uma conclusão interessante. As palavras valem pelo que são. Do que me adianta estar a tentar decifrar cada palavra, cada frase da criatura? Sabem o que significa isto? It means i´m going fucking insane! Oh eu sei que Freud explica, eu também explicaria mas reluto em debruçar-me sobre a teoria porque sei que no final estaria de rastos e pronta a meter-me num convento de freiras.
E pronto. A vida segue mansamente ao contrário do meu imberbe coração que tanto atinge picos de êxtase como de calmaria. É isso, navego num mar sem remos.

4 comments:

L.S. Alves said...

Bem vinda de volta.
Um abraço moça.
...
sawsk

Bela said...

Bem vinda moça!
Bjinhos ;)

Maria Papoila said...

Já tinha saudades dos teus desabafos tão envolventes e bem escritos!
Olha...boa sorte com o pardaleco! Não o agarres muito...pois eles gostam de voar...
Em vez das migalhas, tenta um assobio...eles gostam de música! ;)
E por falar em música quando puderes vai ao meu cantinho ouvir e ver os 20 vídeos da Tracy... :)
Beijos...Muitos!

Clara said...

Ai..sabe bem o regresso a casa, especialmente por saber que os meus companheiros do costume, continuam na área. Thanks!!!