Monday, September 21, 2009

Ser gorda ou não ser

O mundo é cruel com as mulheres acima do peso. As revistas da moda e que se querem educativas, deitam abaixo mensalmente a auto-estima daquelas mulheres que por um motivo ou por outro engordaram. Oferecem-nos fotografias rídiculas de mulheres estupidamente magras, sacos de ossos, mas totalmente endeusadas por não terem um grama de gordura fora do sítio.
Não estou aqui com este discurso porque me encontro acima do peso. Até aos meus 25 anos, era absolutamente magra, mas algo no meu metabolismo mudou e a tendência é manter-me gordinha.
Há dias em que me apetece atirar-me aos crocodilos, especialmente quando vou à loja e não encontro o meu número ou então, quando me olho ao espelho. Ou quando a família fode-me o juízo (perdoem-me o uso do palavrão, mas a expressão é mesmo esta) e só se alegra quando viro as costas para evitar o massacre total. Nestas alturas odeio a minha família e só me apetece mandá-los a todos para o caralho mais velho!
Portanto o que me acontece, é que quando estou em Angola, tenho imensas vezes crises de consciência devido ao meu peso e decido passar dias a pão e água. Mas quando estou em Portugal (longe da família), esqueço-me totalmente dos quilos a mais e torno-me mais leve que um pássaro de asas azuis - fisicamente e psicológicamente.
Já me dediquei mais à leitura de revistas como a Cosmo, Vogue, Elle e etc..hoje em dia já hesito em pagar um balúrdio por uma dessas revistas que ao invés de me tratar bem, manda mensagens subliminares a dizer que "os homens não gostam das gordas". Ou que "felizes são as magras e toca a fazer dieta".
Além disto, as peças de roupa que por lá se apresentam são sempre as consideradas normais e raramente vejo sugestões de compra para as mulheres mais gostosas, digamos assim.
Portanto, diante destes conceitos de beleza, só nos restam duas soluções: atrofiar e sofrer ou encarar as gorduras e ser feliz. Estou a optar pela última. Todos os corpos são lindos e o meu não há-de ser excepção. Posto isto, neste Verão, tentarei comprar um bom fato-de-banho para bronzear-me pelas praias angolanas e passear este corpinho que a natureza me deu.
É que sabem, ser gorda não é uma merda. A merda é ter os outros a acharem que isso é uma merda.

5 comments:

Bela said...

Para mim mais importante é ser saudável, física e psicologicamente. Tento, veja bem tento, comer certo e pratico exercícios físicos porque me faz sentir bem e da-me qualidade de vida. Não abro mão de passar bons momentos com meus amigos num queijos e vinhos, por exemplo, ou numa mesa de salgados, afinal a vida tem que ser um prazer.
Quanto aos corpos das modelos, bem, tem gosto para tudo, rsrs.

L.S. Alves said...

Clara acho que no fundo você encontrou um nicho de mercado. Eu rodo a blogosfera pra cima e pra baixo e nunca encontrei um blogue com dicas de moda, vestuário, para mulheres fora do padrão exibido pelas revistas que falastes. Quem sabe não surge agora em Angola um blogue sobre isso? Pensa nisso.
Um abraço moça.
...
spirevo

Clara said...

Ainda bem que existem gostos para tudo Bela, senão eu e muitas outras estaríamos mal:)

Luciano: deste-me uma excelente ideia, o problema é que não entendo nada de moda!!!

Bela said...

Ei, pode incluir-me na sua lista, afinal, também não sou padrão, rsrs.
Qto a idéia do Luciano, eu adorei, tá aí um bom desafio para ti, incursões pelo mundo da moda.
Aliás, sabia que existem desfiles, catálogos de roupas, etc. para mulheres fora do padrão? E tudo tão glamoroso quanto o mundo das Giseles e Naomis da vida, só não tão óbvio, rsrs.
Bjinhos ;)

L.S. Alves said...

Se abrires esse novo blog não te esqueces de te afiliar ao adsense e assim batalhar uma graninha.
...
ostrum