Wednesday, August 5, 2009

Aviões

Ontem falava sobre o medo com uma amiga. E junto com o medo surgiu o tema: aviões. Então lembrei-me da experiência desagradável pela qual passei com a Ethiopian Airlines. A primeira vez aconteceu quando nos estávamos a preparar para aterrar no aeroporto da Etiópia. O comandante vinha com os "pés no acelerador" e a aterragem foi angustiante, porque ele pousou o avião em alta velocidade. Não se deu ao trabalho de reduzir. Então o aparelho sacudiu, o meu corpo sacudiu e pus-me em posição de protecção. O meu coração estava sobressaltado e a minha cabeça viajava a mil hora com pensamentos de morte e coisas do género. Quando o avião finalmente imobilizou-se, os passageiros bateram palmas. Menos eu que tremia como varas verdes.
O segundo susto veio com a mesma companhia (é a Etiópia que assegura a rota daquele país com Israel, penso eu) e com o mesmo comandante. Sei-o porque reconheci-lhe a voz e o mau inglês no altifalante.
Estava no voo de volta para Luanda. A viagem decorreu sem problemas e até dei-me ao luxo de dormir, embora viesse sentada na janela com a portinhola da dita cuja aberta porque as hospedeiras obrigavam-me a mantê-la assim. E mais uma vez, ao aterrar, o avião vinha com demasiada velocidade. Apesar do medo, vi pela famigerada janela, o asfalto do aeroporto de Luanda a vir contra nós como se de uma boca infernal gigante se tratasse, a uma velocidade absurda. Parecia que seríamos engolidos e levados sem piedade para o outro mundo. Juntei as pernas, encolhi-me, levei as mãos à cabeça e deixei tudo nas mãos do Universo. De repente e apesar da alta velocidade com que aterrámos, o avião reduz a velocidade e com ele os meus batimentos cardíacos.
E mais uma vez confirmei o meu medo de andar nesses aparelhos com asas.
Obs: segundo consta, a Ethiopian Airlines é a melhor companhia aérea do continente africano.

2 comments:

L.S. Alves said...

Que bom que eu não vôo por ai. Nunca tive medo, mas com dois casos desse é já uma questão a se pensar. Aqui no Brasil um avião chegou rápido demais em Congonhas, por falhas mêcanicas não conseguiu parar. Resultando no maior acidente aéreo do Brasil.
Beijos moça e boa sorte.
...
wingi

Bela said...

Não sei se sou distraída ou se não tenho medo, mas quando fui a Fortaleza, só descobri no almoço com alguns colegas que o avião arremeteu antes de pousar, rsrs.
Bjinhos ;)