Wednesday, August 5, 2009

Nas andanças pela web, descobri um blogue americano que fala sobre relações inter-raciais. Gosto muito de ver casais mistos porque simbolizam aquilo que todo o ser humano deveria ter: tolerância e respeito pelo próximo.
Graças ao blogue aprendi meia dúzia de coisas em relação ao comportamento dos americanos diante de uma relação inter-racial. Pelo que entendi, os homens negros americanos não suportam ver mulheres negras com homens brancos. Por sua vez, as mulheres negras não suportam ver os "seus" homens negros com mulheres brancas. Bom, acho um disparate estar para aqui dizer "homem branco, homem negro, mulher branca, mulher negra", mas tem de ser para a coisa ficar clara. E depois existe o outro lado...o da não aceitação familiar de ambos os lados diante de uma relação do género.
Porque será que existe esta intolerância em relação aos casais mistos? Acho esta questão absolutamente ridícula! No meu ponto de vista, são apenas duas pessoas que se amam, dispostas a viverem juntas.
O tom de pele dos tipos por quem me apaixonei nunca foi factor de relevância para mim. Importa-me mais o coração, o carácter, a hombridade. Lembro-me de um lindo namorado que tive em Lisboa e de ligar à minha mãe que estava aqui em Luanda para dizer-lhe que estava a namorar e que andava feliz da vida. Do outro lado da linha ouvi a pergunta: "qual é a cor do teu namorado?" Respondi-lhe: "não sei, ainda não reparei".
Sou filha de pai mulato e mãe negra, no entanto não me guio pela cor da minha pele. Nunca o fiz. E nunca dei importância a comentários racistas - e olhem que sofri vários quando era criança. Também não me vitimizo ou escudo atrás de palavras racistas perante pessoas provenientes de outras culturas. Eu não sou apenas minha cor, nem nunca serei. Sou bem mais que isso.
Espero que cada vez mais haja mistura entre os povos. Talvez seja este o único caminho para o fim dos preconceitos e o início de uma humanidade una.

5 comments:

Bela said...

Isso só vai acontecer enquanto o amor não tocar essas pessoas, e como ele sempre insiste, talvez o tempo seja pouco.
Bjinhos ;)

ToXico said...

Sobre esta questão em particular acho que o meu blogue fala por mim, mas por via das dúvidas deixo-te aqui mais um link:

http://naoassesmaiscarapausfritos.blogspot.com/2008/11/buraka-som-sistema.html

L.S. Alves said...

Clara eu não sei bem o que falar sobre isto visto que aqui no Brasil é tudo uma confusão total. No nordeste eu sou branco, no sudeste moreno e no sul sou preto. Mas com certeza aqui temos menos problemas que os americanos, pois auqui ninguém dica indignado se um negro casa com uma loira ou um branco casa com uma negra. Pode ser que em algumas famílias isso ainda aconteça, mas está com certeza cada vez mais raro. Só pra você ter uma idéia eu tenho uma irmã negra, uma morena, uma branca e um irmão branco.
Ou seja tudo é muito misturado por aqui.
Beijos moça.
...
misclec

Clara said...

Oi Luciano,
não sabia que para cada ponto cardeal existia uma definição diferente para o tom de pele de cada um vai uma grande rebaldaria por aí:)
Ainda bem que aí no Brasil já ninguém se importa com os casamentos mistos. E quem se importa é alucinado porque se existe país com bué de mistura, esse país é o Brasil!
Bjks

jotabloguer said...

Clara: Quanto aos medos de andar de avião ´r tudo uma questão de admitir que somos mortais e se não for de avião no ar há-de ser por um carro em terra ou uma coisinha qualquer que nos aparece,(doença).
é assim que eu tento combater esses medos. porque gosto muito de viajar de avião!
Mas a 2ª parte do teu texto que aborda as raças e as suas "misturas", tocou-me profundamente! Eu também quero crer que a cor é factor secundario, mas que grande parte das pessoas assim não pensa, é um facto! Eu penso também que é uma questão de sensibilidade e inteligência, porque a ignorância da convivência inter-racial, ainda é desconheciada´para muita gente pelo mundo fora!
Um beijinho
JOrge madureira