Tuesday, July 8, 2008

Amizade.Ruptura.Esperança.

A idade traz coisas fantásticas mesmo que lutemos contra ela utilizando os mais diversos argumentos. Chega uma altura na vida em que temos consciência do que somos e isso é-nos dado pela maturidade. Quando chegas a esse ponto, tornas-te inflexível e reavalias emoções e ideias feitas. E chegada a altura de perderes um amigo ou de confrontares-te com essa alma que julgavas conhecer, sentes-te de repente numa roda-viva em que a voz do outro te soa distante e algo invísivel esmurra-te o estômago.
Sentes-te perder a calma mas reconsideras a fúria porque senão as coisas acabam mal. Choras porque é só isso que resta e quando dás por ti, a outra alma também chora. Mas a cisão já lá está e mesmo que coles os pedaços de vidro, sabes que a tua mão já não conseguirá afagar o rosto de quem julgavas conhecer. E então percebes. Percebes que a outra alma utiliza o cinismo, a crueldade gratuita e a frieza, ao mesmo tempo que se acha no direito de ferir-te.
Mas a tua tolerância já está abaixo de zero. Passaste por muito nesta vida e sabes que há alturas em que o outro deve partir. Respiras fundo e percebes que nada dói dentro de ti. Olhas mais uma vez para a alma que tens à tua frente e sentes repulsa. Abres a porta de saída da tua própria vida e mandas aquele ser desaparecer entre as trevas do próprio fel.Sabes que não precisas de criaturas horríveis perto de ti.
Deves dar o teu amor a quem o merece. A quem te conheça e aceite de verdade, seja nos bons momentos ou nos terríveis. É só uma vida, esta que nós levamos. Há mais gente para amar ou para acolher.
E como tudo o que nos acontece tem retorno, descobres mais à frente, que os deuses enviaram-te uma nova alma para amar...

3 comments:

Fevereiro said...

Clara,
"Deves dar o teu amor a quem o merece",
Especialmente a ti própria, amar-nos a nós próprias acima de tudo, para podermos receber o amor que merecemos dos outros, sem abusarem de nós, que ás vezes nem fazem por mal, nós é que, simplesmente, merecemos mais.
Beijinho.

Clara said...

Bom, neste caso a pseudo-amiga fez por mal. Ela tornou-se uma das criaturas horríveis da minha vida, mas que eu soube dispensar com lucidez e calma. E apesar dela ter destruído 20 anos de amizade, só poss estar feliz por saber que nunca mais terei de ouvi-la ou olhar para ela.
Bj

Fevereiro said...

Perante isso, resta-me desejar-te melhor sorte nas próximas amizades!
(Quase todas já fomos traídas por uma amiga, acho).
Beijinho.