Thursday, July 17, 2008

Ser jornalista em Angola (nunca o fui noutro lugar) é por vezes complicado e só os deuses sabem como é preciso ter uma grande dose de paciência para aturar faltas de respeito com a hora marcada, gente arrogante, entrevistados manipuladores e executivos que fazem-nos andar atrás deles durante semanas seguidas porque simplesmente não conseguem dizer não! E na maioria das vezes dizem não porque têm o rabo preso a algum lado, falta de visão e pouca confiança nos meios de comunicação.
Há dias em que adoro esta profissão, mas outros em que só me apetece meter uma licença sabática de dois anos e apanhar o avião com destino para São Tomé e Príncipe ou Moçambique!

2 comments:

Fevereiro said...

Clara,
Cheira-me que ser jornalista em Angola, pelo que descreves, tem muito em comum com ser jornlista em Portugal. Não sou jornalista, portanto a experiência não sei qual é, mas posso imaginar! E em Portugal também me parece haver gente com rabo preso..e chegar a horas então nem pensar!
Beijinho.

L.S. Alves said...

Clara pelo menos trabalhas na tua área. Aqui no Brasil jornalista desempregado é que nem pedra é só ir às ruas e encontra-os aos montes.
Beijos.