Wednesday, April 22, 2009

Quando criei este blogue fi-lo, sabe lá Deus porquê. Nunca tive a ideia de tornar isto num diário, mas a verdade é que estou apaixonada e só me apetece escrever sobre amor e derivados. Ou seja, corro o risco deste blog se tornar um blogue lamechas. Não digo que seja esse o rumo a tomar - até porque não gosto de blogs lamechas e odiaria ver o meu tornar-se um - mas dêem-me tempo até esta paixão estar mais a frio, para eu puder raciocinar como antes e escrever sobre temas menos melosos.
Bom, eis o que se passa. Tive a ideia de colocar aqui algumas perguntas e gostava que vocês me respondessem. Desta forma estarão a ajudar um coração, prestes a rebentar de paixão (ena, até rimou). Pensem nisto como um questionário, ok?
Cá vai:
- é normal estar super apanhada por um tipo com quem saí apenas 3 vezes? (há um ano que andava doida para sair com ele)
- fará sentido dizer-lhe que estou doidinha por ele? (o rapaz deu-me alguns sinais que também gosta de mim, mas talvez isso seja indiferente)
- como é que faço para aprender a gerir esta ansiedade que me está a matar aos poucos e o que fazer com isto que sinto? Preciso extravasar, sabem?
Pronto. Não vos incomodo mais com as minhas dúvidas sentimentais. Se quiserem aproveitar para contar histórias vossas, estejam à vontade.

2 comments:

Maria Papoila said...

1ª - Nada é impossível!
2º - Porque não o fazes? Eu sempre fui muito sincera nessas coisas...nunca o disse directamente até ter provas do outro lado...mas as indirectas eram sempre muito óbvias!
3º - Ansiedade? Hum...o melhor mesmo é goza-la bem! Pois esse tipo de sentimento só o tens umas 3 ou 4 vezes na vida...E é tão bom...por mais que os teus pés estejam a flutuar...este "saborzinho" é teu! Só teu!

Bela said...

Bom, adoro falar de amor e derivados, mesmo não estando tão apaixonada.
Quanto as perguntas, lá vai:
Sim, ah uma ansiedade imensa nas descobertas e um encanto irresistível pelo que ainda não se sabe.
Gerir essa ansiedade não é nada fácil, mas é possível.
No mais, aproveite o momento.
Bjos.