Wednesday, October 8, 2008

Massacre em Juarez

Juarez fica no México. É uma terra pobre, entalada na fronteira que separa o México dos Estados Unidos. Desde os anos 90 que Juarez tem perdido as suas jovens mulheres. São torturadas, violadas, mutiladas e finalmente mortas à mão de gente influente. O governo conhece os números e a polícia também. As organizações dos direitos humanos e jornalistas mexicanos têm dado voz às mães das jovens vítimas. Mas a impunidade continua. E vai continuar. O governo mexicano não acredita em assassinos em série e minimiza a morte e o desaparecimento de tantas mulheres.

"Durante anos, Diana Valdez cobriu, como jornalista, os assassinatos de mulheres em Ciudad Juarez. Ela conseguiu juntar dados suficientes para botar muita gente na cadeia. Mas nada foi feito. Aqui extraímos uma passagem de seu livro “Colheita de Mulheres. Safari no Deserto Mexicano”, publicado em Espanha em 2005.

“Apesar das afirmações das autoridades, esses crimes não tinham nada de normal e já eram muitos. Desde 1993, jovenzinhas, inclusive meninas de apenas 12 anos, eram violadas, estranguladas e mutiladas. Durante os últimos dez anos, mais de quatrocentas mulheres foram assassinadas e uma quantidade indeterminada delas permanece como desaparecidas.
Sagrario González, de 17 anos, que trabalhava como operária em uma maquilhadora, desapareceu em abril de 1998 ao sair do trabalho. Depois de vários dias, seu corpo foi encontrado em um terreno baldio a leste da fábrica onde trabalhava. As autoridades disseram que a jovem foi estuprada, estrangulada e apunhalada. Em 1996, outras oito mulheres forma localizadas em uma região deserta de Juárez, conhecida como Lomas de Poleo, perto de El Paso, Texas. (...) No início, achei que esses crimes eram obra de um par de depravados assassinos, protegidos pela polícia graças a seus vínculos com o submundo. Havia indícios disso. Depois, fiquei sabendo que havia algo muito mais oculto e complexo por trás dessa colheita de mulheres. Pelo que vi, os criminosos eram homens poderosos que gozavam de influência nas mais altas esferas do governo mexicano. Mas os investigadores mexicanos, que sabiam que esses homens escolhiam suas vítimas entre as jovenzinhas das famílias mais pobres, não fizeram nada para detê-los”.

2 comments:

bagaco amarelo said...

era-me totalmente desconhecida, esta catástrofe...

Clara said...

Infelizmente pouca gente tem conhecimento sobre esta realidade:(