Wednesday, January 28, 2009

Hoje sonhei que me tinhas ido buscar a casa. Levavas-me pela mão enquanto perguntava para onde me levavas. Dizias-me apenas para confiar em ti e conduzias-me por caminhos escuros e rodeados de árvores. Não se ouviam os nossos passos. Eras só tu e eu, pisando as folhas secas, vestidas com os nossos pijamas. Então parámos numa clareira, onde o brilho da lua reflectia inúmeras sombras. Senti um abraço e era a Marta. Sorria para mim com aquele ar traquina do costume.
Olhei para o lado e lá estava a Lwena. De braços abertos e olhos molhados. Abraçou-me com força e disse: "ainda bem que voltaste".
Depois senti um afago forte no cabelo. Era o Frederico de viola no braço. Vinha com a Sílvia e o David. Cantavam os três. Acho que era o hino da amizade.
Andei um pouco em direcção à luz e avistei a Yuko, de olhar sereno e longos cabelos. Abracei-a como se o sonho pudesse terminar ali mesmo. "Sinto imensas saudades tuas", disse-lhe eu.
Então vi o Marco aproximar-se. Com aquele andar determinado e sorriso introvertido. Beijou-me as faces e à medida que mostrava os dentes brancos gritava: "é desta que ficas connosco, não é?".
Estava prestes a responder-lhe quando acordei sobressaltada pelo calor. Vieram-me as lágrimas aos olhos, mas estava com o coração alegre. E este sonho tem-me alimentado ao longo deste dia. E sinto como se estivesse estado de verdade com eles...

5 comments:

Sílvia said...

Ai...que até me fizeste chorar...
Tens muitas saudades não é?
Se é tão importante para ti...porque não voltas?...

Clara said...

Sílvia, se eu te dissesse que luto todos os dias comigo mesma, acreditarias? Todos os dias pergunto-me: "voltas ou não?"...
Bjks

Anonymous said...

Porque é sempre uma luta.
Porque é tudo tão fácil e dificil ao mesmo tempo.
Porque as cores estão sempre algures entre o preto e o branco.
Porque, na verdade, somos o que somos.
Porque o que nos faz é como nos relacionamos uns com os outros.
Porque o estar só não é o mesmo que estar sozinho.
Porque é impossível não perseguir o mais além.
Porque a saudade não é só do passado, mas também do futuro.
Porque sair da fortaleza segura é o que custa mais.
Porque o desconhecido atrai e repele.
Porque há tanto mundo no mundo.
Porque no meu “aqui” é que eu estou bem.
porque sim
e porque não?!

ladonabionica said...

estás longe mas sempre perto dos nossos corações.um beijo grande desta tua amiga q nao te esqueçe.

Anonymous said...

Futilidades á parte...a verdade é que o amor que nos é maior do que o tempo e o espaço...e o obvio está reconfirmado na existênçia diária em Lisboa ou em Luanda ou em Pequim...a nossa união é realmente maior do que tudo...
Abraço-te com o carinho das estrelas
Fred.